Total de visualizações de página

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015




Meu Canto...

Não quero saber se é noite,
ou se tem Lua...
mesmo quando em fases,
ela se apresenta nua...
Quero hoje muito mais,
quero o sol da alma,
aquele que aquece 
me dá, ou tira a paz!
Mas me balança, me acorda
do ócio
do não querer ser,
não querer saber...
Pois se sei, reajo,
e isso as vezes
é controverso
até quebra
 as rimas de meus versos
Mas, não importa,
Chegou a hora!
No meu livro em branco
agora , escrevo a minha história!
Se tem poesia , não sei
Mas tem desejo:
de viver o novo
rever o impresso
de criar o agora
de podar o excesso...
e assim,
Entoo cantos sem  profecia.
E nesse canto 
expulso 
os versos de agonia!

Fatinha, só Fatinha...