Total de visualizações de página

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Sonho...
 E no cantar se fez magia
era noite, ou era dia?
Pensei encantar-me com teus segredos
magia!
Fiz-me então alvorada de teus versos
e rompi-me em teus contos de amor!
Catei todos os segredos da alma
mas , mantive a calma
nos sussurros
que ouvi!
Eram teus , ou os meus fantasmas?
Não sei ...
mas , usei a corrente que eles arrastavam
para atar as dores
e delas despedi-me
e dormi, e tu estavas aqui !

fatinha, so fatinha...

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

   
Quem Disse!?

Que não sou capaz de escrever?
Borro o papel
com minhas lágrimas
de chuva,
titubeio em meio a tudo
mas por hora, tento
e sem alento
ou sofrimento
rabisco
insisto...
nas palavras
e ao  pari-las  deixo-as aqui!
Mas,
não receito
não preceito
So escrevo-as
em linhas tortas talvez,
o que poderia ser de forma
reta
concreta
Mas, haveria
entre tantas coisas
discordância,
discrepância,
Pois não almejo
a retidão,
a exatidão,
tão somente
quero escrever,
palavras tolas
sem mesuras
ou frescuras...
Mas, quero pô-las num papel jornal,
ou de seda ,azul ou cor de mel...
E um dia quem sabe?
Depois de serem lidas
Sejam jogadas ao léu...
Ou com sorte , muita sorte,
sejam transformadas
em bandeirinhas de papel!!!????

  Fatinha, so Fatinha...

 Minha Lua ....


Minha lua tão pequena
cabe na palma da mão,
canta histórias de amor
dorme no meu coração!
Lua pequena travessa
vive em noites de querer bem,
quando não tem um amor
busca a alma de alguém...
Faz-se mulher sedutora
faz-se paixão sem ter fim
olhos ,pura tentação
boca da cor de carmim!
Lobos te uivam nas noites
de magia sedução,
lua lua, Nova ou cheia
mulher de muita emoção!


fatinha , so fatinha...





terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Quem sou eu ???!!!!!


Não sei quem sou hoje,
mas ontem fui poesia ...
ainda que partida, 
que gritada
que sofrida!
Fui poesia nas horas tardias
de meu amor por você!
Horas  em que a lua embriagou-me
eu fiz-me tua
em minhas inocentes fantasias...
Amei-te por inteira
sorri-te sem motivos
cantei canções que eu mesma compus...
Agora estou aqui
frente a um espelho rachado
que distorce a imagem
do que fiz de mim
pra você!
Meu canto não soa mais
e minhas poesias
viraram cinzas de rosas...
desfolhadas , no mal-me quer da vida!
Por hora , como não sei mais quem sou
viro a página de mim mesma
e encanto-me nas estrelas
que perpetuam meu poema falecido!!!




fatinha só fatinha...