Total de visualizações de página

domingo, 26 de janeiro de 2014



Te esperando...

Estou aqui...
te esperando em teu tempo 
de amar-me!
Pressa não tenho,
pois se isso faço
o amor retenho...
E não é isso
que de ti , quero...
Quero um sorriso solto
sentindo que é só meu
quero olhos puros
e que o meu olhar
mergulhe nos olhos teus!
mãos que me encontrem 
ao me acariciar
corpo saciado , com gosto de amar!
Quero a festa
a poesia 
o sol
e amor feito
 embaixo do lençol!
Quero boca molhada 
a minha encontrando
quero versos de amor
quando estiver amando...
Então é assim:
quero você dentro de mim
com verso
sem ser ao inverso
sem medo
sem do amor ser arremedo
quero plenitude na hora de amar
quero você inteiro
a me completar
e me completando
possa se encontrar!

Fatinha , só Fatinha...

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014




Louco calendário...

Meu calendário está meio louco
feito um fuso solto
em nosso horário
Quando estamos juntos
está certo o fuso horário...
se longe ficas
o tempo se dá meio arbitrário!
Ah, louco tempo
tempo louco
que te arranca de mim pouco a pouco
que me entrega a ti
em sufoco
de mãos, corpos, ensejos
que o tempo pare
e o mundo repouse, em nossos desejos
no regaço , aconchegante da manhã
que me deixa sã,
so esperando
um raiar do sol
enquanto te procuro
embaixo do lençol
E se não te encontro
me recolho numa triste agonia
E quando isso acontece
vou em meu jardim
plantar poesia!!!


Fatinha, só Fatinha...

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014





Escrever...


Quero escrever 
mas não sei  sobre o que!
Pois se escrevo , me perco
já que de teu nome não esqueço.
Teu jeito , teu sorriso 
estão gravados em minha retina
e fogem por aí
feito menina que com a alma
 o  mundo explora.
Mas isso não me consola,
pois quero escrever
quero falar do Sol
falar da lua,
fazer poemas 
bailar na rua...
e só em pensar nisso 
por ti alucino,
e minha pele fica nua...
e viajo em tuas mãos
em teu olhar
que me avistou , em breve estar
quando eu menina me fazia rir
de bobas coisas
enganando o tempo
que me afastava de ti.
E assim fiquei 
sem mais saber escrever
pois a palavra que me representa
está embutida em você.
e só fica livre
quando em ti pensando,
durmo e sonho te amando!

Fatinha, só Fatinha...



Você...

E veio assim,  vindo
sorrindo com olhos de sorrir
e de confundir!
Maneiro, brejeiro
deixou em meu  coração 
um gosto bonito,
de querer se perder
e em ti se achar...
Agora sou velha menina,
na ciranda da vida
com gosto de sonho na boca
querendo prender o tempo
e jogar-se ao vento
pra poder te encontrar!

Fatinha, so Fatinha...