Total de visualizações de página

terça-feira, 3 de abril de 2012


Amor...

Um amor pelo que sei
cabe na palma da mão
cabe no bolso da alma
cabe até no coração!!!

Fatinha, so fatinha

segunda-feira, 26 de março de 2012


Lua ...

Sou lua , sou prata
sou alma, exata
do que devo ser!
Sou lua minguante
inteira , errante
dos poetas a amante
Sou teu bem querer!
Sou lua intrigante
faceira, formosa
sou poema , sou prosa
sou  inspiração!
De fases, sou feita
as vezes perfeita
me faço em prazer!
Descanso das fases
quando eu, em teus braços
encontro meu ser!!!

Fatinha , so Fatinha...




sexta-feira, 23 de março de 2012

Meu Tempo!!!

Sem tempo , sem hora
eu canto no vento
meu grito ou dilema
minha fé de verão...
esqueço o inverno
o frio cortante
a dor lacinante de meu coração...
Invento ou crio
um tempo marcado
para ser feliz
escrevo na areia
segredos da alma
do tempo que fiz!
Não choro por nada
apenas escolho
meu modo de ser
palmilho a história,
a passos criados
do tempo sem hora
que estou a viver!

Fatinha, só Fatinha...

terça-feira, 6 de março de 2012

 Mulher...

Suspiro vivo 
prosa  e canto 
poesia perene
da vida encanto,
vívida e plena...serena!
Ah,primeiro, menina -flor
depois flor-menina
mulher-poema,
pequena -grande composição de amor!
A duras penas,constrói teu dia
em muitas vezes
sem poesia,
só , pé no chão....
Compões a vida
com decisão
és fibra pura
de emoção!
Da lágrima és o sal
do sal o sabor
da rosa o perfume,
do poema o amor...
Sabedoria
temperança
esperança
força é fé...
és mais que tudo 
receita divina
de essência livre
és tu mulher!

fatinha, so fatinha...

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Poeminha do vento ...

Canta vento bem mansinho
para meu amor dormir
canta baixo e não tristonho
para que ele possa sentir!

Essa canção eu compus
para tu  vires cantar
e fazer dormir quem amo
e pra sempre vou amar!

Vento então cantes suave
essa canção poesia
que compus em tarde alegre
em tua doce companhia!

Vento leve e brejeiro
és igual ao meu amor
duras um tempo inteirinho
depois o  leva e deixa a dor!

Sopra longe ,muito longe
vento em sua ventania
um amor não dura muito
vai-se depois de um dia!

Vento moleque , arteiro
enganas em teu sussurrar
so amas o tempo bastante
que tens para ventilar!

 Ventes as dores também
pois delas é  o que  restou
depois que se foi  pra longe
o amor que o vento levou!


Fatinha , só Fatinha...

sábado, 11 de fevereiro de 2012


Poema , apenas poema!

Sou poema sem norte
sem corte,
sou poema de amor!
Sou vento que sopra
que corta a estrofe
que rima com dor!
Nas rimas versadas
por onde perpasso
escrevo e declaro
meu sonho ou prazer
distraio-me e esqueço
do meu endereço
até rasgo o preço
do que vou dizer!
Poema não existe
com preço
ou demora
também não tem horas
em sua paixão!
Escreve e encanta
embala e espanta
as vezes maltrata
pois ata e desata
ou traz solidão.
Quisera escrever
um puro poema,
apenas poema,
sem ter ilusão!

Fatinha, só Fatinha...

Sintonia...
Ah, menino bonito
que brinca de sonhos comigo,
fascínio e encanto...
mistério de amar
me abraça e me faz delirar!
Canta comigo , canções delirantes
em notas e tons ressonantes
apenas criados
em nosso querer!
Teu gosto ,pecado
teu beijo molhado
tuas  mãos , meu gemer!
Me gostas assim
pequena e inocente
criando magias
pra nosso prazer!
Quero então um tempo
sem horas
 sem data ,de acontecer
e que ele seja eterno
enquanto houver magia
ou então poesia
em nosso entardecer!

Fatinha ,so Fatinha...

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Tristeza

Tenho uma tristeza tão grande
dentro do meu peito
e não sei o que fazer para digerir!
Tem dias, que a vejo
como um retrato, sem trato
sem norte , sem porte!
Horas tardias, ela me perturba
pois se aninha em meu peito
em meu leito
de um jeito
meio torto,
meio morto...
e se canaliza em minha alma
que a degusta
com gosto de café dormido
esquecido sobre o fogão
aquele, que tem gosto de solidão...
Ah,tristeza, arrume a mala
e fuja da ausência do meu querer
do meu sofrer...
Pois , se ficas, faz-me refém
da tua presença
que é quase uma sentença
de tornar-me  fantasma eterno
de tua companhia
que deixa-me assim
 nessa sinestesia
e faz-te ser eterna nas horas
pálidas de meu querer-te
no eterno arrastar correntes
e eu com certeza, ficarei aquém
de não libertar-me
e pra sempre querer-te bem!

fatinha, so fatinha..

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Sonho...
 E no cantar se fez magia
era noite, ou era dia?
Pensei encantar-me com teus segredos
magia!
Fiz-me então alvorada de teus versos
e rompi-me em teus contos de amor!
Catei todos os segredos da alma
mas , mantive a calma
nos sussurros
que ouvi!
Eram teus , ou os meus fantasmas?
Não sei ...
mas , usei a corrente que eles arrastavam
para atar as dores
e delas despedi-me
e dormi, e tu estavas aqui !

fatinha, so fatinha...

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

   
Quem Disse!?

Que não sou capaz de escrever?
Borro o papel
com minhas lágrimas
de chuva,
titubeio em meio a tudo
mas por hora, tento
e sem alento
ou sofrimento
rabisco
insisto...
nas palavras
e ao  pari-las  deixo-as aqui!
Mas,
não receito
não preceito
So escrevo-as
em linhas tortas talvez,
o que poderia ser de forma
reta
concreta
Mas, haveria
entre tantas coisas
discordância,
discrepância,
Pois não almejo
a retidão,
a exatidão,
tão somente
quero escrever,
palavras tolas
sem mesuras
ou frescuras...
Mas, quero pô-las num papel jornal,
ou de seda ,azul ou cor de mel...
E um dia quem sabe?
Depois de serem lidas
Sejam jogadas ao léu...
Ou com sorte , muita sorte,
sejam transformadas
em bandeirinhas de papel!!!????

  Fatinha, so Fatinha...

 Minha Lua ....


Minha lua tão pequena
cabe na palma da mão,
canta histórias de amor
dorme no meu coração!
Lua pequena travessa
vive em noites de querer bem,
quando não tem um amor
busca a alma de alguém...
Faz-se mulher sedutora
faz-se paixão sem ter fim
olhos ,pura tentação
boca da cor de carmim!
Lobos te uivam nas noites
de magia sedução,
lua lua, Nova ou cheia
mulher de muita emoção!


fatinha , so fatinha...





terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Quem sou eu ???!!!!!


Não sei quem sou hoje,
mas ontem fui poesia ...
ainda que partida, 
que gritada
que sofrida!
Fui poesia nas horas tardias
de meu amor por você!
Horas  em que a lua embriagou-me
eu fiz-me tua
em minhas inocentes fantasias...
Amei-te por inteira
sorri-te sem motivos
cantei canções que eu mesma compus...
Agora estou aqui
frente a um espelho rachado
que distorce a imagem
do que fiz de mim
pra você!
Meu canto não soa mais
e minhas poesias
viraram cinzas de rosas...
desfolhadas , no mal-me quer da vida!
Por hora , como não sei mais quem sou
viro a página de mim mesma
e encanto-me nas estrelas
que perpetuam meu poema falecido!!!




fatinha só fatinha...