Total de visualizações de página

quarta-feira, 31 de julho de 2013



Poemas!!!

Poemas, gosto de lê-los 
mas, não sei fazê-los!
Se eu soubesse talvez
os escrevesse  assim,
em nuances claras
quem sabe até em cor marfim?
Comporia as estrofes
com simplicidade ,em seus versos
nem que assim os fizesse
escritos ao inverso!
Dor não existiria,
amor , teria dimensão
mas sempre haveria rima
para fé e a paixão!
Não poria em meu poema
agonia
melancolia...
sequer teria simetria.
Mas teria 
compasso
amasso
abraço...
Teria saudade , sem idade
chegada, sem partida
hoje , sem amanhã,
sem lágrimas, sem divã!
O sabor seria de café com pão
e poderia ser escrito
na palma de minha mão!
Penso nisso
e de mim, sinto dó!
Pois tenho mãos duras
que se pensam em escrever
teem contraturas
e até no amor
se perdem nas juras!
E assim 
não conseguem escrever
aquilo que eu gostaria de ler!
Por isso,persisto em dizer
 Poemas, gosto de lê-los 
mas, não sei fazê-los!

Fatinha, so Fatinha...

terça-feira, 16 de julho de 2013



Meu pecado

Quero confessar meus pecados
a quem procuro?
rabino
padre,
pastor ,
um rei?
São pecados diversos,
como os cometi?
confesso,não sei!
roubei , apenas ,
isso é pecado?
Talvez!
Quando se rouba o Sol
pode haver perdão
mas a Lua, ah, essa não!
Dela depende
 o amante
a paixão
o poeta
o tesão
o amor...
Dela depende até
a fé do pescador!
Mas, eu a roubei
para um poema compor!
E por isso estou aqui
com os meus tristes ais
pesando os pecados
arrastando correntes
fantasma?
ah, isso me é indiferente...
o que eu não quero
 é absolvição
pois implicaria
na devolução
da lua roubada
das minhas noitadas
de farra com ela.
Pecados ?
Apenas encontros
fortuitos ,talvez,
de uma pecadora 
em estado de graça,
que sonha e dança 
na praça,
a luz do luar,
e que não  contente
comete o pecado
da lua, roubar!

Fatinha, só Fatinha...









segunda-feira, 15 de julho de 2013




Mudança!!!

Deixei hoje , no cabide do meu quarto
a minha maturidade....
que na verdade ,
não passa de um acréscimo
de minha idade!
Não a quero mais,
ela não me atinge
se choro, não ouvir, finge!
Por isso desisto!
Quero voltar a ser eu 
sem ter que acertar
sem medo de errar
sem preocupação
sem condução,
podendo até andar na contra mão!
Quero a lei que eu criar
quero poder regras quebrar,
as regras que seguirei 
agora vou inventar!
Não consigo acertar em nada
por que de mim exigem tudo,
seriedade
conduta
superação
hora certa
alerta
preocupação....
Pois o tempo urge
o dia surge
e a vida passa 
do jeito que está, 
sem graça, sou só um rascunho 
seguindo a multidão!
Por isso vou fechar a minha conta
comigo
contigo
e ver se pelo menos
 um poema eu consigo,
no desfazer dessa maturidade
que me alcançou 
e me jogou assim a mercê
dessa saudade que sinto
e que me faz,hoje,
 querer dizer não,
e voltar a ser feto
dentro da minha solidão!

Fatinha, só Fatinha...




terça-feira, 9 de julho de 2013

Não apague a lua...


Cansei de escrever versos
cansei de poemizar
e estou tentanda
a desfazer o verbo amar!
Não quero tolerância
 em minha decisão,
Isso não é arrogancia
é constatação
do que me doi
do que se foi
do que sofri
do que vivi
do que perdi!
Quero dormir solto
um sono sem  sonho
quero um novo porto 
ao que me proponho
quero a consciencia
 dos anjos lunares
não espero clemencia 
ao meus ditos vulgares.
Serei um poeta
de bares e ruas...
Só peço um favor,
que o último ao sair 
não apague a lua!

Fatinha, só Fatinha...



segunda-feira, 8 de julho de 2013



Poema Mudo!!!

Faço poemas do que se acabou
da noite não vivida
da saudade sentida
das lágrimas caídas
em sua partida...

Não queria 
que houvesse rimas
por que o fim ,
 é algo que começa
quando se tropeça,
esbarra em verdades
As vezes doloridas
nem sempre esquecidas!

Ah, mas poesia sem rimas
sem métrica
fica que nem eu , desconexa!

Então,me decido,
 agora que chegou o fim 
vou ali 
em meu jardim
plantar palavras
colher amores
que saibam algo de mim!

Depois recomeço tudo 
sem dor e sem absurdo.
E no final , transcrevo tudo
num poema mudo!

Fatinha ,só Fatinha...