Total de visualizações de página

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014



Sou Poeta...


Sou poeta de bar
Sou poeta de rua,
se a inspiração não vem,
a culpa é minha ou tua?
O  bar, me inspira o samba-canção
Na rua me inspiram
os olhos que vejo
em eterna ilusão!
Sou poeta sem rima
sem medida, sem preceitos
Por isso o que escrevo
nem precisa rimar direito.
Preciso sim de inspiração,
ou quem sabe respiração
pois em goles sôfregos 
de pura fantasia,
me apaixono pela solidão...
Sou poeta de tantos sonhos
vazios ou não...
Sou poeta de olhos rasos
da última dor , 
vivida na contra mão...
Poeta de luas,
de fases
de amores errantes,
de histórias antigas,
em livros na estante...
Ah poeta , de alma cansada
de lágrima ressentida,
de boca escancarada
É isso que sou,
poeta esquecido
que a poesia,
 é meu único amor!

Fatinha , só Fatinha 
                             

domingo, 23 de fevereiro de 2014





"Vez em quando"

Vez em quando me sinto assim
sem pé , sem mão
sem teto, sem chão...
Acho que a distancia 
alucina,
e me perco em enormes sonhos
feito menina...
Quando te procuro e não encontro,
me desmancho pelas nuvens,
brancas nuvens e pronto...
desenho balão colorido
solzinho sorrindo
Isso as vezes auxilia
pois me traz , tua companhia...
Mas ,"as  vezes" ,
não é o sempre,
e não sendo ,
me causa uma tristeza
que me deixa ausente
desse sonho que sou eu,
desse amor que é só teu..
e te busco novamente
em breves sonhos,
em fartos sonhos,
sem saber onde os ponho,
e se estão prontos,
de novo , ou vezenquando
sou tua, sonho  e me encontro!

Fatinha, só Fatinha...