Total de visualizações de página

sábado, 11 de fevereiro de 2012


Poema , apenas poema!

Sou poema sem norte
sem corte,
sou poema de amor!
Sou vento que sopra
que corta a estrofe
que rima com dor!
Nas rimas versadas
por onde perpasso
escrevo e declaro
meu sonho ou prazer
distraio-me e esqueço
do meu endereço
até rasgo o preço
do que vou dizer!
Poema não existe
com preço
ou demora
também não tem horas
em sua paixão!
Escreve e encanta
embala e espanta
as vezes maltrata
pois ata e desata
ou traz solidão.
Quisera escrever
um puro poema,
apenas poema,
sem ter ilusão!

Fatinha, só Fatinha...

Nenhum comentário:

Postar um comentário