Total de visualizações de página

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Rap, não sei do que...



Rap , não sei do que ....


To passando na avenida, louco povo
agitado...formigas se esbarrando,
carteiras sendo tiradas, roubadas?
descuidadas., meu irmão!
pensando o que ? é dia de trampo
e eu sou um cidadão...
a patroa tá em casa, tem criança pra cuidar
os que ficam no farol, num da para segurar,
tudo é muito caro...o cigarro , a gasolina
to contando com a grana da menina na esquina!

Final de mês ... nem sei o que fazer,
cantar um rap?não sei do que...


E os bacana, desfilam de carrão
na minha mesa , hoje nem teve pão!
filho chorando, sorrio pra parede
será que ele é colorido
ou ele é mesmo de cor verde?
No hospital, a senha acabou
cento e cinquenta, única senha que sobrou...
estranho ! o que é que houve , o guri ja se calou?!

Gente correndo , formando multidão,
pensei : menos um, para pedir pão!
coisa esquisita nunca senti assim...
me amarga o peito , uma sensação ruim!
vou na esquina preciso espairecer,
de repente uma carteira pra bater!
A vida continua todo mundo fala assim,
que consolo , ter vida e ter fim!

meu cigarro, apagado me diz ta tudo mal
vou ver o outro moleque , que deixei la no sinal!
a grana é necessária, hoje não da para faltar,
preciso de um caixão, para meu guri botar,
não tem desculpa, não tem explicação
esse é foi seu ultimo dia , nunca mais vai pedir pão!
Agora tudo feito , tudo consumado!
volto pro barraco , com a patroa do meu lado!
amanhã é outro dia, muita sorte eu vou ter..
pois é preciso sorte , pra poder sobreviver....


Fatinha, so fatinha

2 comentários:

  1. Parabens Fatinha,este é o nosso mundo cão,enquanto alguns passam com seu carrão,outros morrem verde por falta de pão.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. mamãeeeeeee a senhora ta no rap,mae tamuitooo massa esse rap,ameiiiiiiiiiiiii.


    amoo vc muitoviuuu.

    ResponderExcluir