Total de visualizações de página

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Sou Massa...

Que faz a vida, recheio de gente,
sou pele ,sou osso , consciente?
Sou pão , sou prosa...verso sem espaço
poema sem compasso...
No céu , lua sem amantes , como pode iluminar?
Na noite , solidão sem par!
Sou povo que some, na noite , no norte , na vida,
sem nome...
Massa que consome e some nos numeros dos bares
que fazem promessas, que cantam nas ruas, que vivem sem lares!
Massa moderna, de seres pensantes, que fazem desfiles
que andam errantes na terra do Rei...
que cospem salivas com nojo da massa, e expelem fumaça
de seus travesseiros...onde dormem e sonham
ou tem pesadelos...com o furto , com o roubo
do sono e do sonho do povo, da massa...que chora e carrega
nas costas cansadas, o peso do corpo...
sou sorte , ou logro?
Sou massa cansada , da vida massante , sou algo errante...
somente um passante ...da vida estafante !
se volto outra vez, massa não terei...quem sabe com sorte
poema serei?!

fatinha , so fatinha....

2 comentários:

  1. Você Fatinha, não é poema, é poesia....

    ResponderExcluir
  2. também concordo nane,q fatinha só fatinha é poesia...

    ResponderExcluir