Total de visualizações de página

quarta-feira, 2 de março de 2011

So quero esquecer



Não há nada de novo pra escrever,
não há nada de novo para viver!
Sol e lua , lua e sol...
casamento de espanhol?
Isso é  só rima,
que se esgrima
nas palavras , feito espada,
ou quem sabe um espadim?
Só preciso de uma palavra
inventada ou não , por mim,
que case e verseje, rime e combine
quem sabe com mandarim?
Ah, mas que absurdo...
Estou tentando e não consigo
esquecer tudo!
Preciso reinventar...
a forma de escrever ou de pensar,
deixar palavras soltas,
deixar soltas as palavras,
sem atá-las
sem destratá-las
sem amarrá-las...
Nossa , quando penso que
o que escrevo está perfeito
sinto angústia
forte e densa, no meu peito...
por que tudo que quero
são as palavras esquecer
nem que pra isso
eu tenha que emudecer,
Preciso aprender, a desaprender
os versos
as rimas
os olhos
as cismas
os sonhos
a fantasia
o nome
a poesia...
E quem sabe , desaprendendo tudo
eu me livre desse peso absurdo
que começou , no dia que aprendi
a fazer rimas de amor,
no dia que descobri
que amor , rima com dor!


fatinha, so fatinha...

Nenhum comentário:

Postar um comentário