Total de visualizações de página

sábado, 27 de novembro de 2010

Eu...



O poema que escrevo é meu!
Nele, está meu sorriso e meu sonho,
dedico-o a mim própria e o recito
em horas ,em que ser somente eu
simplesmente me proponho!
A canção que canto é minha,
minha verdade, minha insônia
ou meu verso alegre, em noite tristonha!
Ah, não importa se entendes....
sou eu que me apresento a mim
tiro da face , o sorriso plástico
e a mim me entrego em noites sem fim!
Sou lua em fases distintas...
mudando ao sabor do vento
sobrevivendo as dores,
sou livre em meu pensamento!
Quando choro, minhas lágrimas
Se unem e formam um mar...
Molhado de lembranças tolas,
e saudades que há muito
estão a me afogar!
Não tenho pretensão de ser melhor...
Sou uma equação tranquila ,
de tudo que me fiz ser!
Sou insensata no amor
que hoje busco pra me entreter!
Falo alto pelos cantos...
quando não encontro você!
Roubo rosas no jardim alheio
e ofereço-as sem ter receio!
E assim me faço inteira
nessa vida passageira
buscando um forma inexata
de comigo, ser verdadeira!

Fatinha so fatinha...

Nenhum comentário:

Postar um comentário